Todos sabemos o pesadelo que é uma dor de cabeça forte. Para algumas pessoas, porém, esse problema é frequente, repetindo-se ao menos em metade dos dias do mês. É a cefaleia crônica que, apenas no Brasil, atinge 13 milhões de pessoas.

Cefaleia nada mais é que o termo técnico equivalente à popular “dor de cabeça” – expressão comumente usada para definir as dores sentidas na região do crânio – e que engloba dores de intensidades e tipos bem diferentes. Essa é a principal doença neurológica em todo o mundo e calcula-se que 90% da população mundial tenha ao menos uma experiência negativa com dores de cabeça ao longo da vida.

Na maior parte dos casos, as dores regridem naturalmente, apenas com repouso, sem necessitar de atendimento médico. Em outros casos, porém, os episódios começam a se repetir frequentemente, dia sim, dia não ou mesmo diariamente. Quando isso ocorre, estamos diante da cefaleia crônica, caracterizada pelo surgimento de dores de cabeça em pelo menos 15 dias por mês, repetindo-se há pelo menos três meses.

Os tipos mais comuns são a cefaleia tensional e a enxaqueca. Um tipo mais raro e muitas vezes confundido com a enxaqueca é a cefaleia em salvas. Clique sobre cada um dos tipos de dor ou use a barra lateral para ler mais sobre suas características.