5 razões para criar um diário de gratidão para os dias sem dor

Dias sem dor existem e eles não podem ser esquecidos. A musicoterapeuta Juliana Bertoncel explica por que é importante lembrar desses momentos

diário de gratidão dor crônica

por Juliana Bertoncel*

À primeira vista, os dias sem dor parecem inexistentes para uma pessoa com dor crônica. São “cabeças de bacalhau”, como a gente costuma dizer no Brasil. Mas agora pense de novo. Concentre-se. Apesar da frequência da dor, você vai perceber que sim, eles existem. E, mais que isso, eles não podem jamais ser esquecidos.

Uma maneira de lembrar-se sempre dos dias sem dor é criando um diário de gratidão, no qual você irá agradecer a esses momentos e não só! Abaixo dou cinco motivos para que você crie o hábito de registrar esses dias maravilhosos em que a dor dá uma trégua:

1. O diário de gratidão ajuda a mensurar a evolução do tratamento

Isso é importante para você e também para o seu(ua) médico(a). Sempre nos lembramos de falar sobre o quanto de dor sentimos, mas uma informação igualmente importante é o tempo que passamos SEM DOR, sejam alguns minutos, horas ou dias. Só assim o(a) médico(a) poderá precisar a eficácia dos medicamentos e dos tratamentos prescritos.

2. O diário de gratidão ajuda a criar sistemas de recompensa para os momentos sem dor

O que você fez nos dias sem dor? Se com dor você fica em casa assistindo TV e sem dor você faz exatamente a mesma coisa, tem algo de errado. Podemos concordar que independente do que você faça é sempre melhor fazê-lo sem dor, mas é importante criar um sistema de recompensas para esses dias sem dor. Sabe aquelas coisas especiais e diferentes que você adora, mas que não as faz durante as crises? Pois então, os dias sem dor são a hora ideal para fazê-las.

3. O diário de gratidão ajuda a valorizar a saúde que temos, apesar da dor crônica

Saúde e bem-estar são algumas das coisas mais preciosas da vida, mas, mesmo assim, às vezes só lembramos deles quando eles estão em falta. Você valoriza sua saúde todos os dias ou só se lembra dela quando fica doente? Manter o diário irá lhe ajudar a perceber o quanto você ainda é saudável e como são bons os dias sem dor. Isso ajuda a dar mais atenção e ter mais gratidão para a saúde que para a doença.

4. O diário de gratidão ajuda a manter a mente sã, equilibrar emoções e renovar a fé no bem-estar

Qualquer experiência de dor é muito impactante e, se não tivermos atenção, ela ganha proporções imensas dentro da nossa cabeça. Mesmo que você tenha passado de segunda a quinta sem sentir dor nenhuma e só na sexta ela tenha aparecido para uma visita, a tendência do seu cérebro será a de classificar a semana “como uma semana péssima” na qual “deu tudo errado”. Chamamos de vício cognitivo essa mania da nossa mente de generalizar, e, o pior, normalmente priorizar a experiência sensorial mais intensa – no caso, a dor. O diário pode ajudar a corrigir essa distorção, criando um panorama mais racional para a sua semana.

5. O diário de gratidão ajuda a lembrar em qual direção você está indo

O tratamento não é apenas para evitar a dor e retirá-la da sua vida, mas, principalmente, para recuperar sua saúde, bem-estar, liberdade e prazer. O que lhe dá mais motivação? Ir fazer a fisioterapia para não ter dor hoje ou ir fazer a fisioterapia para ter uma vida inteira pela frente de prazer e coisas boas? Fazer o diário lhe ajudará a manter o foco no futuro, a longo-prazo, ajudando-lhe a perceber que toda sua dedicação de tempo e dinheiro terão como retorno mais saúde e felicidade.

*
Juliana Bertoncel
(terapiaemusica@gmail.com) é consultora de saúde e promotora de bem-estar, ministra o único treinamento que ensina como usar a música para diminuir a dor.

Deixe seu comentário!

Compartilhe conosco o que você achou desta matéria.

Deixe um comentário